In Memoriam Credídio Rosa (4/9/1938 - 6/8/2014)

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Credvinho - Vinhos do Uruguai

CREDVINHO - OUTUBRO 2014
LOCAL - EL TRANVIA
TEMA - VINHOS DO URUGUAI




Nosso tema foi: Vinhos do Uruguai, realizado no El Tranvia, restaurante típico daquele país, situado no bairro de Santa Cecília.

Desta vez dispusemos as mesas de forma quadrada, o que facilitou muito o bate papo.Tanto isto é verdade que nossa reunião se estendeu até a meia noite. Ubirael e Gianna viajaram para o Uruguai e gentilmente nos trouxeram alguns dos vinhos para a degustação.

Bira nos falou sobre a vinicultura no Uruguai, dando ênfase à uva emblemática deste pais que é a Tannat. Ressaltou o alto consumo de vinho no país, estando em quinto lugar no mundo.




Tivemos 2 vinhos de boca:
1- espumante médio y médio, da Roldós, bebida típica de boas vindas nos restaurantes uruguaios. Trata-se de uma combinação de vinho espumante doce e vinho branco seco em quantidades iguais. Uvas Cabernet Franc e Moscatel. R$ 10,00

2- Bouza Chardonnay 2011, região de Canelones,  que apresenta estações bem definidas,com verões secos e ensolarados, invernos chuvosos e não muito frios. Os solos são argilosos com boa drenagem e as uvas são colhidas manualmente, passando 50% dos vinhos 8 meses em barricas de carvalho e o restante em tanques de inox. Cor palha, olfato com frutas citrinas e acácia,bastante fresco e persistente. R$ 40,00

Degustamos 4 vinhos de vinícolas diferentes, sendo todos 100% Tannat.

1-Pisano Arretxea 2009, Canelones, GA 14%, 12 meses em barricas de carvalho francês.
Aroma rico e complexo, denso na boca, encorpado. R$ 144,00

2-Maderos de San Juan,2009, de cor vermelho escuro, aroma de frutas vermelhas bem maduras, taninos equilibrados. Não é um vinho de guarda, estando pronto para ser consumido.
R$ 48,00

3- Bouza Parcela única B1, 2012, Canelones, GA 14%, 18 meses em barricas de carvalho.
Cor e aromas intensos com notas mentoladas e tostadas. Seleção de uvas por grão. Primeira safra deste terroir de 13 anos. R$ 118,00

4-Amat 2009, bodegas Carrau, da região de Rivera, GA 14%, 20 meses em madeira.
Elegante, macio e aromático. R$ 177,00

Nossa escolha foi para o Bouza seguido do Amat, Maderos e Arretxea.



Jantamos um belo bife de Chorizo, acompanhado de papas infladas e salada.
Nosso jantar foi regado a Cepas Nobles 2005, da bodega Carrau com GA 12% , 9 meses em madeira.
Vinho mais leve e fresco que acompanhou bem a carne.

Tomamos um café e nos despedimos desta casa que nos acolheu muito bem.
Até novembro.
Vera

sábado, 20 de setembro de 2014

Credvinho - Vinhos do Líbano

CREDVINHO - SETEMBRO 2014
LOCAL - GRAND CRU MOEMA
TEMA - VINHOS DO LÍBANO






Neste mês fugimos um pouco dos temas habituais e fomos à terra do antigo Canaan conhecer um pouco dos vinhos milenares do Líbano.

Em geral os vinhos são produzidos com cepas francesas cultivadas durante o domínio francês entre os anos de 1920 a 1946, e algumas cepas locais com as brancas Merwack e Obeideh e a tinta Caladoc, que é uma mistura de Grenache Noir e Malbec.

As vinícolas são plantadas, em geral, a 1000 metros de altitude, em solos de calcário e sob sol presente em 300 dias por ano.

Os vinhos degustados foram de uma única vinícola, IXSIR, vinícola moderna de 2008, construída numa tradicional casa de campo libanesa de 400 anos.

Degustamos 2 brancos:

1- IXSIR Altitudes White 2013, composto de Muscat, Viognier, Sauvignon Blanc, Semillon, GA 13,5%, grande frescor, aromas florais e boa acidez. R$ 86,00

2- IXSIR Grand Reserve White 2012, composto de Viognier, Sauvignon Blanc, Chardonay, GA 13,5%,5 meses em barrica de carvalho francês, aromas de pêssego, textura cremosa acidez intensa. R$ 120,00

O preferido foi o número 2.

A seguir degustamos 2 tintos:

1- IXSIR Grand Reserve Red 2009, composto de Syrah,Cabernet Sauvignon,Viognier, GA 13,5%, 12 meses em barrica de carvalho francês, aromas exuberantes de cerejas e amoras maduras, caráter mineral acentuado, taninos aveludados e final persistente.R$ 150,00.

2-El IXSIR 2009, composto de Syrah, Cabernet sauvignon, merlot,GA 13,5%, 24 meses em barrica de carvalho francês, aromas de amoras negras e especiarias, elegante e estruturado com final longe taninos finos. R$ 390,00.

O escolhido foi o número 2.




O Eduardo da Grand Cru nos preparou para o jantar um pernil de cordeiro acompanhado de um risoto com pinholes que estava delicioso e se harmonizou com muita elegância com o quinto vinho da noite: IXSIR Altitudes Red 2010, composto de Cabernet Sauvignon, Syrah, Tempranillo e Caladoc.

Nesta noite especial o time feminino foi mais numeroso do que o masculino !

Vivam  as mulheres!

Um grande abraço,

Vera

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Cluvinho - Tempranillo em diferentes regiões da Espanha


CLUVINHO - SETEMBRO 2014
LOCAL - GRAND CRU MOEMA
TEMA - TEMPRANILLO EM DIFERENTES REGIÕES DA ESPANHA



A reunião deste mês aconteceu em 16/09, e seguiu o mesmo formato das últimas, ou seja 100% de uma mesma casta, aqui no caso foi a TEMPRANILLO, foi as cegas e somente no final foi revelado a casta e o país, e todas as amostras foram consideradas ótimas. Esta casta é a segunda em área plantada na Espanha, sendo a primeira a Airén uma casta branca, porém a mesma Tempranillo, que possui diversos nomes, dependendo do país onde é cultivada. Em Portugal é a casta mais plantada somando a quantidade de Tinta Roriz e Aragonez. O nome Tempranillo vem da palavra espanhola temprano, que significa cedo, é que esta casta amadurece antes das outras.

Iniciamos os trabalhos fazendo um brinde ao nosso eterno Presidente Credidio com um branco espanhol chamado PROTOCOLO BLANCO 2012, da região de la Tierra de Castilla, pela familia Eguren, um corte de 60% Airén e 40% Macabeo, um vinho amarelo esverdeado, com aroma de frutas frescas, tipo maçã e pêssego, na boca com agradável acidez e ótimo frescor, GA - 12,5%, preço R$ 42,00, importadora Peninsula, a aprovacão deste vinho foi unânime, por ser fácil de beber e um preço justíssimo.



ORBEN 2005 - Produzido pela mais recente bodega Orben do grupo Artevino (Izadi) em RIOJA, com uma pequena produção de 90.000 garrafas/ano, vinhedos com 75 anos, produzindo apenas dois rótulos, RP e GP 92 ptos., importado pela Península, 12 meses em barrica de carvalho francês, cor granada escura, aroma cereja negra. madeira, tostados e balsâmico, na boca carnudo, taninos macios e boa acidez, GA - 14%, preço R$ 163,00, ficou em quarto na preferência.

SEÑORIO DE LOS BALDIOS CRIANZA 2009 - Bodegas Garcia Aranda é o produtor deste Ribera del Duero, 6 meses em carvalho americano, RP - 93 pts., importado pela Grand Cru, cor de cereja com tons violáceos, aroma de cereja negra, na boca frutas vermelhas, elegante, mas pouca persistência, GA - 14%, preço R$ 95,00, segundo na preferência.

VETUS 2007 - A vinicola Vetus é quem produz este vinho na região de Toro, obra da familia Antón (Viña Izadi, Finca Villacreces, Orben), doze meses em barrica de carvalho francês e americano, GP - 94 ptos., importado pela Península, cor de cereja com tons violáceos, aroma de frutas vermelhas, tostados e minerais, na boca concentrado, taninos maduros, corpo médio, GA - 14,5%, preço R$ 153,00, terceiro na preferência.

ALTORREDONDO 2006 - Produzido por Bodegas Garcia Niño, na região de Castilla e Leon, RP - 92, barricas de carvalho francês e americano, importado pela Grand Cru, cor de cereja negra, aroma de frutas vermelhas, couro, tabaco, na boca elegante, taninos macios e agradáveis, GA - 14%, preço R$ 167,00, foi o preferido da noite.

No jantar foi servido um ótimo stinco de vitela com risotto a milanesa, e para harmonizar escolhemos o vinho VEGA MORAGONA LA DUNA 2012, produzido por La Magdalena, envelhecido em barricas de carvalho, 100% Tempranillo, em Ribera del Júcar na província de Cuenca, RP - 91 ptos, cor rubi profundo, aroma de frutas vermelhas, ameixa, morango em calda, na boca taninos finos, encorpado médio e ótimo final e longo, GA - 14%, preço R$ 59,00, excelente preço/beneficio.

Cred não nos abandone.

Taba

As últimas aqui no blog